Seu cérebro fica maior se você estiver ansioso e deprimido

 

Pesquisadores descobriram que a depressão está ligada a diminuição de áreas do cérebro, mas quando a depressão é combinada com a ansiedade, uma área do cérebro se torna "significativamente" maior.
Um novo estudo, publicado no Journal of Psychiatry and Neuroscience, analisou mais de 10.000 pessoas para descobrir os efeitos da depressão e da ansiedade no volume cerebral.
O estudo mostra que a depressão tem um impacto pronunciado no hipocampo, a parte do cérebro ligada à memória e ao aprendizado, diminuindo-a.
Por outro lado, o estudo descobriu que, quando a depressão e a ansiedade ocorrem juntas, leva a um aumento no tamanho da parte do cérebro ligada às emoções, a amígdala.
"Muitos estudos que analisam o efeito da depressão no cérebro não explicam o fato de que as pessoas que sofrem de depressão geralmente também sofrem de ansiedade", disse Daniela Espinoza Oyarce, pesquisadora.
A depressão é o distúrbio mais debilitante do mundo, e um em cada seis australianos atualmente sofre de depressão, ansiedade ou ambos.
"Descobrimos que pessoas que têm apenas depressão têm volumes mais baixos no cérebro em muitas áreas do cérebro, e em particular no hipocampo", disse Espinoza Oyarce.
"Isso se torna ainda mais relevante mais tarde na vida, porque um hipocampo menor é um fator de risco para a doença de Alzheimer e pode acelerar o desenvolvimento de demência".
Uma descoberta particularmente importante desta pesquisa é que as pessoas que tiveram depressão e ansiedade tiveram menos encolhimento em muitas áreas do cérebro e até um aumento na amígdala. Isso indica que o verdadeiro efeito da depressão no cérebro foi subestimado devido a um efeito oposto na amígdala.
"A ansiedade reduz o efeito da depressão no tamanho do volume cerebral em três por cento, em média - escondendo um pouco os verdadeiros efeitos de encolhimento da depressão", disse Espinoza Oyarce.
"Mais pesquisas são necessárias sobre como a ansiedade diminui os efeitos da depressão, mas para a amígdala, talvez a ansiedade leve à hiperatividade".
Mais informações: Volumetric brain differences in clinical depression in association with anxiety: a systematic review with meta-analysis, Journal of Psychiatry and Neuroscience, DOI: 10.1503/jpn.190156