Sociedade do Feltro: Coleção "Monstrinhos Cansados"
Sociedade do Feltro: Coleção "Monstrinhos Cansados"
Sociedade do Feltro: Coleção "Monstrinhos Cansados"
Sociedade do Feltro: Coleção "Monstrinhos Cansados"
Sociedade do Feltro: Coleção "Monstrinhos Cansados"
Sociedade do Feltro: Coleção "Monstrinhos Cansados"
Sociedade do Feltro: Coleção "Monstrinhos Cansados"

Sociedade do Feltro: Coleção "Monstrinhos Cansados"

Preço normal
R$ 250,00
Preço promocional
R$ 250,00
Frete calculado no checkout.

O que são?

Almofadinhas em feltro, compondo monstrinhos. Enchimento de fibra siliconada, aplicações de velcro, coladas ou costuradas.

O que estimula?

Demandas emocionais frequentes nos levam a fadiga psíquica. A repetição de padrões disfuncionais mentais e comportamentais a médio e longo prazo podem causar somatizações, estresse e até evoluir para um transtorno emocional maior.

 

Cada monstrinho possibilitará uma ou várias demandas:

Monstrinho "Cansei de pensar demais": looping de pensamentos, TOC, TEPT, mandatos culturais e crenças limitadoras.

Tem abertura formando um bolso na cabeça do monstrinho para representar os pensamentos na mente do monstro. Vem com quatro nuvens representativas de pensamento disfuncionais: confuso, negativo, distorcido e repetitivo. Explorar cada tipo de pensamento, nomeando, mapeando sintomas decorrentes deles, explorando como esses pensamentos poderão ser diferentes e mais construtivos. Eficaz o tratamento de TOC, TEPT, mandatos culturais e crenças limitadoras.

 

Monstrinho "Cansei de ver isso": exposição a dinâmica relacional disfuncional (família, casal, organização) padrões culturais, preconceitos e conflitos.

Possui braços e mãos que possibilitam fechar os olhos do monstrinho, prendendo com o velcro. Explorar situações que magoam e esgotam psiquicamente. Explorar sentimentos, sensações e atitudes diante dos quadros ocorridos. Excelente forma de trabalhar exposição à dinâmica relacional disfuncional (família, casal, organização) padrões culturais, preconceitos, conflitos e traumas.

 

Monstrinho "Cansei de falar": impulsividade, sentimentos relacionados a traumas de abandono, depressão, impotência e ingratidão.

Possui abertura formando um bolso. Dentro está a enorme língua do monstro e também as imagens representativas: abobrinha (besteiras ditas), bomba (fala catastrófica, ampliadora ou destrutiva) e interrogação (representando qualquer tema dito pelo paciente, fala duvidosa ou questionamentos). Usando as figuras que saem da boca do monstro estimular a fala sobre o tema, levando à reflexão das palavras ditas, suas consequências e funcionalidades. Ideal para trabalhar fala impulsiva, sentimentos relacionados a traumas de abandono, depressão, impotência e ingratidão.

 

Monstrinho "Cansei de machucar": pode ser trabalhado como o agente ativo (que machuca) ou passivo (quem é machucado). Trauma mecânico, bullying, violência doméstica e automutilação.

Possui asas removíveis, sendo que uma vem com curativo removível. Permite trabalhar o agente ativo (quem machuca) e/ou passivo (quem é machucado). Promover a fala sobre situações que machucam, simbolizadas nas asas cortadas ou machucadas. Esclarecer a psicodinâmica das relações que ferem. Facilita o trabalho de traumas mecânicos (agressões físicas), fenômeno bullying, violência doméstica e automutilação.

 

Monstrinho "Cansei de ouvir isso": abuso de poder, assédio moral e sexual, psicodinâmica disfuncional na família, escola e ambiente de trabalho. Modelos educativos e tipos parentais.

Tem orelhas com velcro permitindo que sejam fechadas. Explorar a livre fala do paciente sobre situações, pessoas e fatos onde aconteceu esse esgotamento psíquico por estímulos frequentemente ouvidos. Permite acessar e trabalhar abuso de poder, assédio moral e sexual, psicodinâmica disfuncional na família, escola e ambiente de trabalho. Modelos educativos e tipos parentais.

 

Monstrinho "Cansei de engolir isso": constrangimento social, assédio moral, abuso de poder, tipos parentais e modelos educativos autoritários, passividade e impotência.

Possui abertura em bolso representando a boca. Vem com figuras de cobra, sapo e salamandra representando assuntos, problemas, broncas e tantas coisas ruins que acabamos por "engolir" a força. Possibilita trabalhar constrangimento social, assédio moral, abuso de poder, tipos parentais e modelos educativos autoritários, passividade, impotência e somatizações.

 

Os monstrinhos facilitarão o trabalho de muitas questões emocionais de forma lúdica, simples e eficaz. Poderão ser utilizados com qualquer faixa etária, desde que sejam feitas as devidas adaptações!

 

Sugestão de utilização:

Apresentar coleção utilizando a metáfora de que os monstros também passam por dificuldades e problemas como nós. Para crianças, desenvolver a história acrescentando informações sobre o mundo do monstros, etc.

Se for paciente adolescente ou adulo não precisa fazer introdução com história sobre os monstrinhos. Basta mostrar os bonecos sinalizando que eles representarão simbolicamente questões emocionais que todos nós temos (em maior ou menor intensidade).

Pedir que o paciente escolha qual tema/monstro vai trabalhar ou selecionar o que necessitar trabalhar primeiro.

Dimensões aproximadas de cada monstrinho: 15cm x 15cm

Observações: conjunto composto por seis almofadinhas monstro. Não poderão ser vendidos separadamente. 

As cores poderão variar.

Contém peças pequenas (coladas ou costuradas) que poderão ser engolidas. 

Recomendável supervisão de adulto na utilização do recurso.